“O poder só é efetivado enquanto a palavra e o ato não se divorciam, quando as palavras não são vazias e os atos não são brutais, quando as palavras não são empregadas para velar intenções, mas para revelar realidades, e os atos não são usados para violar e destruir, mas para criar relações e novas realidades.” (ARENDT, Hannah Condição Humana, 2007, p. 212)

OAB-PB realizará audiência pública para debater problemas da telefonia móvel na Paraíba


A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), irá realizar, na próxima quinta-feira (08), uma audiência pública para discutir os péssimos serviços prestados aos consumidores paraibanos pelas operadoras de telefonia móvel que atuam no Estado. O evento acontecerá no auditório ‘Advogado João Santa Cruz’, a partir das 14h30.
 Participarão da audiência representantes da Comissão de Comissão de Direitos Difusos e Relação de Consumo da OAB-PB; e da secretaria municipal de Defesa do Consumidor de João Pessoa.

De acordo com o presidente da OAB-PB, Odon Bezerra, “a Telefonia Móvel no Estado, sem exceção, presta um péssimo serviço aos consumidores”. “O problema é antigo e, as vezes que estivemos debatendo o assunto, os representantes se comprometeram a melhorar. Infelizmente, até a presente data, não vimos qualquer ação concreta de melhorias”, lamentou.

Odon acrescentou que as reclamações mais constantes são: ligação cortando; rede indisponível; ligações incompletas, caindo no meio da conversa; pontos críticos na grande João Pessoa, onde não se tem linha; e dificuldades em falar com call center. “Diante deste quadro, decidimos promover a audiência pública na sede da OAB-PB. Iremos debater todos os problemas e caso não encontremos soluções, buscar a via judicial”, afirmou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dano moral indireto: quem pode pedir reparação por morte ou por ofensa a um ente querido?

Ministro Barroso nega ação sobre regulamentação do artigo 142 da Constituição

FIGURA PÚBLICA Luciano Hang pode continuar a exibir mensagens em aviões contra Lula