“O poder só é efetivado enquanto a palavra e o ato não se divorciam, quando as palavras não são vazias e os atos não são brutais, quando as palavras não são empregadas para velar intenções, mas para revelar realidades, e os atos não são usados para violar e destruir, mas para criar relações e novas realidades.” (ARENDT, Hannah Condição Humana, 2007, p. 212)

Aprovação da PEC para adiar eleições é sinal de maturidade, diz Davi Alcolumbre


Da Redação | 23/06/2020, 22h34
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, manifestou satisfação com a aprovação, em tempo recorde, nesta terça-feira (23), da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, que adia as eleições municipais de outubro para novembro deste ano. Ele disse que o Senado enfrenta a pandemia da covid-19 com um gesto de bom senso e conciliação. O texto segue para a Câmara dos Deputados e a previsão é de que será votado e promulgado rapidamente.
— Não era possível realizarmos eleições num momento de inseguranças e incertezas. Quero cumprimentar todos os senadores que fazem esta demonstração histórica de responsabilidade, de maturidade política e de certeza das atribuições de cada um — declarou.
Davi atribui a velocidade na aprovação da PEC à consciência do papel do Senado diante de uma crise sem precedentes. Ele avalia que o adiamento do pleito por 42 dias dará tempo para que a questão de saúde pública seja equacionada, preservando a vida dos cidadãos e mantendo a previsibilidade do processo eleitoral.
— Precisamos fortalecer as instituições. Fortalecer as instituições é fortalecer a democracia — afirmou, elogiando também o "papel conciliador" do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso.
O relator da PEC, senador Weverton Rocha (PDT-MA), também destacou a maturidade dos colegas.
— O Congresso Nacional, através do Senado, marca uma posição histórica no país colocando a vida em primeiro lugar — afirmou.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dano moral indireto: quem pode pedir reparação por morte ou por ofensa a um ente querido?

Jurisprudência molda os limites para concessão do sursis processual

Ministro Barroso nega ação sobre regulamentação do artigo 142 da Constituição