“O poder só é efetivado enquanto a palavra e o ato não se divorciam, quando as palavras não são vazias e os atos não são brutais, quando as palavras não são empregadas para velar intenções, mas para revelar realidades, e os atos não são usados para violar e destruir, mas para criar relações e novas realidades.” (ARENDT, Hannah Condição Humana, 2007, p. 212)

MPE/RJ denuncia 12 por esquema de venda ilegal de ingressos para a Copa


O MPE/RJ ofereceu à Justiça, nesta quinta-feira (10/07), denúncia contra 12 envolvidos no esquema de venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo 2014. O promotor Marcos Kac, da Nona Promotoria de Justiça de Investigação Penal da Primeira Central de Inquéritos, requereu a prisão preventiva de 11 acusados, incluindo o diretor executivo da Match, Raymond Whelan, empresa ligada à Fifa. 


De acordo com o MPE/RJ, a Justiça aceitou a denúncia e decretou a prisão dos 11 acusados. A polícia está realizando operações para prender Raymond Whelan, que está foragido. 

O único denunciado que não teve prisão preventiva requerida foi o advogado José Massih, que colaborou com as investigações. 

Os 12 acusados vão responder por organização criminosa, cambismo, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. 

Além de Whelan e Massih, também foram denunciados Mohamadou Lamine Fofana, conhecido como “Lamine”; Alexandre Marino Vieira; Antonio Henrique de Paula Jorge, o “Henrique”; Marcelo Pavão da Costa Carvalho; Sergio Antonio de Lima, o “Serginho”; Julio Soares da Costa Filho; Fernanda Carrione Paulucci; Ernani Alves da Rocha Junior, o “Junior”; Alexandre da Silva Borges, vulgo “Xandy”; e Ozeas do Nascimento.


FATO NOTÓRIO

Órgão: TJ/RJ

http://www.fatonotorio.com.br/noticias/ver/16724/mperj-denuncia-12-por-esquema-de-venda-ilegal-de-ingressos-para-a-copa/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dano moral indireto: quem pode pedir reparação por morte ou por ofensa a um ente querido?

Jurisprudência molda os limites para concessão do sursis processual

Ministro Barroso nega ação sobre regulamentação do artigo 142 da Constituição